?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
philip seymour hoffman
rosas
innersmile
Com a ajuda da Wikipedia descobri que vi, pelo menos, vinte e um filmes com o Philip Seymour Hoffman, sendo o mais antigo o Scent of a Woman, com o Al Pacino, de 1992. Mas a primeira vez que me lembro bem dele foi no Boogie Nights, o primeiro de quatro filmes que fez com o Paul Thomas Anderson, que eu vi pela primeira vez num quarto de hotel de uma pequena cidade do estado de Minnesota, nos EUA. Ainda nessa estadia norte-americana vi outro filme com o actor, The Big Lebowski, dos irmãos Coen, um filme que nunca revi, e sinceramente não me lembro de PSH no filme, só do John Goodman, do Jeff Bridges e do Steve Buscemi. O último filme que vi com PSH foi também do PT Anderson, o The Master, em que o actor tem uma daqueles desempenhos em que era irresistivel e perigosamente sedutor, como só ele sabia fazer.

Num pequeno post que pôs na sua página do Facebook, o actor Kevin Spacey escreveu o seguinte: “A tragedy to lose as supremely talented an actor as Philip Seymour Hoffman. An unspeakable loss for film, theatre & all who knew him.” E acho que não se pode dizer muito mais, nem com maior simplicidade nem com maior eloquência. Apenas acrescentar que a falta que PSH nos vai fazer a nós, espectadores, é também ela irreparável. PSH era dos poucos actores que nos levava às salas de cinema de propósito para o ver trabalhar. O seu jogo era simples e intenso, com uma ironia quase sempre presente que parecia dar-lhe alguma distância em relação aos papéis que, por outro lado, vestia como quem veste um corpo.

PSH ganhou um oscar da academia com o seu desempenho do escritor Truman Capote, no filme biográfico que olha com particular atenção para a relação entre o escritor e um dos assassinos que retrataria no seu livro indispensável In Cold Blood. E foi realmente um tour de force, esse trabalho de PSH. Mas eu prefiro recordá-lo num filme um pouco mais antigo, Flawless, de 1999 (o mesmo ano em que fez Magnolia e The Talented Mr. Ripley, que colheita!), realizado por Joel Schumacher. No filme, PSH fazia o papel de um travesti, Rusty, e da relação difícil com um polícia duro e conservador, desempenhado pelo Robert deNiro. Não é um grande filme, mas a performance do PSH torna-o inesquecível.



  • 1
I agree with you about his acting in Flawless

I love this movie, all thanks to him.

Concordo em gênero, número e grau.

Um dos melhores actores dos últimos anos. Ele mereceu o Óscar como Capote, sem dúvida, mas não houve um único papel em que ele não tivesse sido magnífico.
Também gostei muito dele neste filme de que puseste o vídeo e comecei a repara ele no velhinho e hoje filme de culto, "Boogie Nights" em que ele fazia de gay.
Tenho cá para ver o "Master" e suponho que vou gostar, pelo que já li e junta dois actores de feitios "difíceis" - ele e o Joaquin Phoenix.
Dia trágico para o cinema pois na véspera tinha falecido Maximilian Schell, talvez um dos actores que mais vezes interpretou personagens nazis; grande actor tambèm e irmão da enorme Maria Schell (Irmãos Karamazov).

é engraçado, a minha memória do MS tem mais a ver com uma certa época, do que propriamente com a sua participação concreta nos filmes.

ser encontrado pelo amigo com a seringa no braço deve ser o mais degradante que existe. lembrei-me da cena do Llewyn Davis...
um talento enorme perdido da forma mais estúpida.

obrigado pelo teu comentário Margarida. por vezes há uma certa tendência para glamourizar as drogas, nomeadamente por potenciarem a criatividade. mas o que elas são é absolutamente destruidoras, como se vê por mais este exemplo.
lembrei-me do início do The Howl, do Allen Ginsberg, quando ele diz que as melhores mentes do seu tempo foram destruídas pela loucura.

consegui apanhar este filme um deste dias no mov, estava a fazer zapping... os meus canais de cabo estão ordenados à minha maneira, e do 0 para baixo os que passam séries, 0 axn, 99, fox, 98, foxlife e por aí em diante.

qual, o The Howl? gostaste?

flawless, com o DeNiro, o vídeo que colocaste. gostei.

ah ok, desculpa a confusão, é da idade ;D


eu que o diga, confundi mov com mgm. é mgm (tenho cabovisão).

  • 1