miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

i hear music up above

Já aqui tinha posto um clip da canção Sister Rosetta Goes Before Me, numa versão lindíssima de um disco que a Alison Krauss fez com o Robert Plant (link). Lembrei-me agora outra vez dela, e decidi bisar a canção, mas desta vez num clip em que quem a canta é a sua autora, a cantora Sam Phillips:

Sam Phillips- Sister Rosetta Goes Before Us from Jon Salvia on Vimeo.


Strange things are happening everyday
I hear the music up above my head
Though the sight of my heart has left me again
I hear music up above

Secrets are written in the sky
Looks like I've lost the love I've never found
Though the sound of hope has left me again
I hear music up above

Standing in my broken heart all night long
Darkness held me like a friend when love wore off
Looking for the lamb that's hidden in the cross
The finder's lost
I know I loved you too much
I'll go alone to get through

I hear Rosetta singing in the night
Echos of light that shines like stars after they're gone
And tonight she's my guide as I go on alone
With the music up above




Lembrei-me desta canção a propósito do encontro da sonda espacial Rosetta, da Agência Espacial Europeia, com o asteróiode 21 Lutetia, no passado dia 10 de Julho. Os cientistas acreditam que o asteróide Lutetia, com as suas crateras e marcas de impactos fortíssimos, possa ser um left-over do famoso big bang, o que transforma este acontecimento num verdadeiro encontro com a história do universo. O flyby aconteceu a mais de 450 milhões de quilómetros da Terra, e deu-se a uns meros 3162 km de distância, ou seja menos do que a distância entre muitas cidades europeias! Foi um verdadeiro kiss and run, já que a Rosetta, depois de tirar muitas fotografias, continuou o seu trajecto em direcção ao cometa Churyumov-Gerasimenko, com quem tem encontro marcado em 2014. Este link, da página da ESA, é um excelente ponto de partida para uma viagem sobre a Rosetta e o asteróide Lutetia; já agora, foi desta página que roubei as duas fotografias do Lutetia, assim baptizado em homenagem à cidade de Paris, que vou pôr em baixo.

Agora o que me deixou deslumbrado, tanto quanto as imagens belíssimas do Lutetia, é como a letra da canção da Sam Phillips, dedicada a Rosetta Tharpe, uma das primeiras cantoras gospell a gravar e a actuar nos clubes de blues e de soul, parece caber inteirinha nesta história do futuro e ser dedicada à própria sonda espacial: «I hear Rosetta singing in the night, Echos of light that shines like stars after they're gone». É lindo. Aliás, é sublime.

Tags: citações, clips, crónica, música
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 0 comments