miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

district 9

A melhor qualidade de District 9, o filme sul-africano de ficção científica que tem estado a deliciar público e crítica, é ter uma boa história para contar e contá-la bem. É sobretudo um filme feito com contenção e inteligência. Que começa logo no facto de os efeitos especiais estarem ao serviço da história e não o contrário, como tantas vezes acontece. O mesmo em relação à acção (as cenas de pancadaria e tiroteio), que é muita mas nunca se torna um fim em si mesma. Outro tanto para a parábola socio-política que o filme encerra e que parece estar na sua génese.

Ou seja, o filme tem todos estes elementos, mas todos eles se submetem à lógica e à economia da história que o filme quer contar, e é isso, essa narrativa sempre justa e apertada, sem folgas, sem gordura, que dão sentido a duas horas bem passadas.

Por tudo isto trata-se na realidade de um filme surpreendente. E por ser uma absoluta surpresa, para mais vinda de uma cinematografia que, pelo menos para nós, é rara. E ainda mais por ser um reflexo tão preciso de algumas das questões fulcrais no mundo actual, como sejam a amplificação mediática, a banalização da pobreza em massa, ou a transferência de responsabilidades colectivas para a lógica empresarial.
Tags: cinema
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 13 comments