?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
smooth swiftness
rosas
innersmile


Lembrei-me de começar a passar para aqui as primeiras frases, ou os primeiros parágrafos dos livros que leio. E lembrei-me de fazer isso precisamente quando li o primeiro parágrafo de A Damsel in Distress, do P.G. Wodehouse. Que é assim:

«In as much as the scene of this story is that historic pile, Belpher Castle, in the county of Hampshire, it would be an agreeable task to open it with a leisurely description of the place, followed by some notes on the history of the Earls of Marshmoreton, who have owned it since the fifteenth century. Unfortunately, in these days of hush and hurry, a novelist works at a disadvantage. He must leap into the middle of his tale with as little delay as he would employ in boarding a moving tramcar. He must get off the mark with the smooth swiftness of a jack-rabbit surprised while lunching. Otherwise, people throw him aside and go out to picture palaces.»

Li o ano passado dois livros do Wodehouse traduzidos e publicados por cá, ambos da série Wooster e Jeeves (acerca de quem, descobri agora, foi feita uma série cómica com o Hugh Laurie e o Stephen Frey, com muitos clips no YouTube). Mas quando comecei a ler este, no original inglês, é que percebi o poder humorístico da escrita de Wodehouse, e que é a essência dos seus livros, muito mais do que o cómico das situações retratadas (que, neste como nos outros, é uma variação do humor típico do autor: pôr a ridículo a luta de classes inglesa, com os upper class tolos e excêntricos e os downstairs matreiros ou simplórios, com trocas de identidade e enganos amorosos).

Aquela primeira frase que transcrevi é verdadeiramente prodigiosa. É complexa do ponto de vista sintáctico, e no entanto lê-se de forma cristalina. Segura-nos um bocadinho sem nos deixar entrar directamente na narrativa, mas enunciando que isso é coisa que não se pode fazer. E sobretudo marca o tom do tipo de humor que vai ser praticado, em que o narrador não é uma entidade presciente, mas emana da própria linguagem. Enfim, não sei explicar isto muito bem, mas seja como for é humor em pólvora.


  • 1
Os começos de histórias são coisas especiais,não são? A primeira frase do post recordou-me a leitura do "Se numa noite de inverno um viajante", do Italo Calvino. A novela é a realização do desejo de uma das personagem, declarado no capítulo central do livro:

"Desejava poder escrever um livro que fosse apenas um incipit, que por toda a sua duração mantivesse a potencialidade do princípio, a expectativa ainda sem objecto. Mas como se poderia construir um livro assim? Interromper-se-ia após o primeiro parágrafo? Prolongaria indefinidamente os preliminares? Encaixaria um início de narração noutro, como nas Mil e Uma Noites?"

Estás para começar a ler o novo romance Se Numa Noite de Inverno um Viajante de Italo Calvino. Descontrai-te. Recolhe-te. Afasta de ti todos os outros pensamentos. Deixa esfumar-se no indinstinto o mundo que te rodeia.

Acho que foi a primeira frase mais 'enfeitiçante' que eu li.

  • 1