?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
ora cá está a política
rosas
innersmile
Nunca votei no Bloco de Esquerda e tenho muito pouca simpatia pelo seu modo de estar na política, que considero farisaico e sobranceiro. Desconfio sempre dos que se proclamam de uma nova maneira de fazer política (afinal de contas está tudo inventado, e há mais de 2000 anos) e desconfio ainda mais daqueles que arrebanham para as suas hostes os que estão cansados da política e dos políticos. O único crédito que lhes dou é que acho divertidas, mas nada mais do que isso, algumas das suas acções de agitação e propaganda. Têm sentido de humor, e eu acho isso bem.

No entanto, nas próximas eleições europeias, cuja campanha começou este fim de semana, vou votar no Bloco. E faço-o porque o Bloco é o único partido em que me revejo na questão da imigração. Acho perigoso que a Europa se queira transformar numa fortaleza securitária, que dou à conta da fobia paranóica que todos sentimos em relação ao que é diferente e vem de fora. Mas acho deplorável a política das quotas de imigrantes que os estados membros da União têm aos poucos vindo a implementar e que agora pretendem transformar em política europeia.

Primeiro, porque acho de um cinismo a toda a prova, essa coisa de apenas querermos cá os imigrantes de que precisamos, na quantidade em que precisamos e para fazer as tarefas que precisamos que façam. Em termos morais, isso não tem outro nome que não seja escravatura. Uma Europa que se diz civilizada e pretende ser o farol da humanidade em termos de dignidade da pessoa e respeito pelos direitos humanos, acha que os pobres deste mundo são pessoas de segunda categoria, que podem ser contingentados em função das nossas necessidades. A sério, acho inqualificável.

Depois porque efectivamente acredito que o mundo é uno e todos temos, ou devíamos ter, o direito de nos instalarmos onde queremos. Porque é que um tecnocrata europeu tem o direito a empregar-se como quadro superior numa multinacional e ir viver, a ganhar balúrdios, numa capital do terceiro mundo onde a sua empresa explora a mão de obra fácil e barata, e um cidadão desse mesmo país não tem o direito de procurar uma vida melhor e vir viver para o país de onde esse tecnocrata é cidadão a trabalhar num emprego que mais ninguém quer, a ganhar o salário mínimo e a viver em condições precárias?

Finalmente acho insuportável o argumento de que os imigrantes nos vêm roubar os nossos empregos e mamar na nossa segurança social. Oiço este argumento há mais de 30 anos, ouvia-o aos grupos nacionalistas ingleses, de extrema-direita, e faz-me impressão que hoje se diga isso à boca cheia, por políticos soi-disant democráticos, sem pejo nem vergonha. Desde logo porque os imigrantes geralmente só ficam com os empregos que mais ninguém quer. Depois porque os imigrantes procuram oportunidades e por isso seguem as economias prósperas (ou alguém ainda não tinha dado conta de que os imigrantes dos países de leste foram-se embora e os brasileiros estão a deixar de vir?) Além disso porque os imigrantes que se decidem mesmo a ficar por cá são normalmente pessoas integradas, que trazem algo de novo e de positivo à nossa sociedade, que acrescentam e diversificam, tornando mais rica, a nossa geografia humana.
Tags:


  • 1
noto aí uma pontinha de fundamentalismo

sim, mas não é religioso :)

Já que estamos numa de declarar intencões de voto deixa-me dizer-te que irei votar no BE em todas as eleições que se avizinham mas apenas o faço numa perspectiva de penalizar as outras forças politicas, se bem que começo a acreditar que talvez, por uma vez que seja, se deva dar oportunidade de governo à esquerda e ver o que dali possa sair.

Quanto ao texto da imigração e com todo o respeito que me mereces acho que reflecte um ponto de vista ingénuo.

por norma tento que o meu voto tenha um sentido positivo, e não que seja penalizador, tipo cartão amarelo ou vermelho ou cor de burro quando foge. mas ainda bem que te deu para penalizares com um voto de esquerda, do mal o menos ;)

quanto à ingenuidade, o que conheces de mim dir-te-á que se há coisa que não sou é ingénuo. pode ser um ponto de vista radical, inconveniente e até desadequado, mas ingénuo é que não é. ingenuidade é pensar que se podem resolver os problemas da economia com este tipo de medidas restritivas, quando os imigrantes vêm trabalar nos sectores que o governo considera como impulsionadores da recuperação da economia, ou seja nas obras públicas.

mas seja como for, não acho que a ingenuidade seja um defeito, por isso nunca consideraria o teu comentário como falta de respeito :)

(Deleted comment)
(Deleted comment)
(Deleted comment)
(Deleted comment)
(Deleted comment)
Eu digo "sim" a tudo o que escreveu. Meu sangue, esse inconsciente coletivo, diz "sim" e quer gritar: "não há fronteiras para ser".
Um abraço. Você sente que o que escreve é uma semente?

Eduardo

beijo-te, caro Edu. nunca ninguém me tinha dito tal.

pois eu que me sinto e sou uma verdadeira emigrante, e apesar de trabalhar numa instituição europeia, concordo. Só não voto BE.

Sara

interessante o teu contributo e a tua perspectiva. obrigado :)

Nunca votei noutro partido que não o Bloco de Esquerda (estando o Bloco de Esquerda a votos)... E também não votei no Bloco nas últimas presidenciais... Em que tentei fazer do meu voto um voto «útil», votando no Manuel Alegre... Infelizmente revelou-se, ainda assim, inútil...

o voto nunca é inútil, apesar de haver alguns votos que são perigosos. agora eu acho é que o voto deve ser positivo. que me lembre, nunca usei o meu voto para castigar. já votei em alternativa, por desinteresse, e, claro, já votei muitas vezes na esperança de não ganhar.

on a different note, por vezes não consigo entrar no teu blog, dá-me mensagem de erro (ou qualquer coisa do género). mas devem ser esquisitices do meu computador. vou lá experimentar outra vez :)

Eu não tenho exatamente uma opinião formada nesse assunto, e acho que jamais terei, justamente porque consigo ver razão em ambos os lados.

Entretanto, há uma coisa que me chama bastante a atenção e incomoda imenso: é essa espécie de hipocrisia do "ah, não gostamos de imigrantes mas se eles vierem fazer o que não queremos fazer, tudo bem". É de um desprezo que não chamo de "animalesco" porque os animais são mais nobres do que isso!

Ainda bem que, apesar de no Brasil existirem tantos imigrantes (tanto legais quanto ilegais), nunca houve nenhum tipo de problema. Falo mal do Brasil, na maior parte do tempo detesto este buraco, mas pelo menos nunca vi um imigrante apanhando dentro do metrô, nem nunca vi pichadas nos muros frases do tipo "La France pour les Français" ou "Parlons français à Paris!".

Salve o espírito pacífico dos brasileiros e sua ingenuidade política!

salve! e que frutifique e contamine todos os outros povos.

Saint, eu adoraria ver pichada numa parede a frase 'o brasil aos brasileiros. fora com os angolanos, os portugueses, os japoneses, os italianos, os alemães (sim, tu não escapas), e todos os outros estrangeiros'. não era lindo?

é como os nacionalistas aqui em portugal reclamarem da pureza da raça? os portugueses, puros? só os cavalos :)

Estou a pensar votar BE para todas as eleições que se avizinham, não que seja um partido com quem simpatize, acho-o até um partido bastante antipático.
Quanto à questão da imigração, creio que é populismo do mais baixo, e do mais fácil, os políticos devem sentir-se muito à vontade a falar ao povo daquilo que, supostamente, julgam que o povo quer ouvir, no fundo estes políticos, que são a favor da quotização da emigração, todos têm um pequeno Le Pen dentro deles, e o povo unido, às vezes, é burro.

mas vocês compram o voto às dúzias, ou o quê? não podem fazer uma intenção de voto de cada vez? tem de ser logo em 'todas' as eleições? para isso mais valia só ter feito uma, para tudo. poupava-se dinheiro e já que o voto é sempre o mesmo ficava o assunto arrumado.
:)

Muito bem dito meu amigo, cada vez gosto mais de ti!
E mais que uma busca de oportunidades temos as pessoas que buscam outras coisas e vêm a sua necessidade de imigrar quase que banida! A Europa quer funcionar um pouco como funcionam os EUA agora, será que imaginam a quantidade de sofrimento que causam a tanta gente?
Enfim, resta esperar que tal coisa nçao aconteça e que deixe de acontecer nos EUA!

Ah, e sou eu, o Félix! ;)

Três coisinhas:
1-Ainda não percebi mto bem essa tua fobia em relação ao Bloco. Uma das razões que me agradam no BE é pq escapa à 'tranquilidade' (essa sim farisaica e sobranceira) dos 4 grandes que se julgam depositários dos verdadeiros valores da nossa cultura política mas apenas sobrevivem devido à persistência identitária de uma base social de apoio significativa que julgam permanente e inamovível. Se toda a gente pensasse assim nunca nada mudava e não seria preciso democracia...
2-Quanto à leitura q fazes da emigração estou plenamente de acordo, quer numa perspectiva mais racional quer por afinidade emocional. Não sei o que pode ter de ingénua ou fundamentalista...
3-A terceira já me esqueci, mas é apenas porque estas coisas dão pano para mangas e teremos oportunidade de continuar a conversar sobre isto ;-)

Esqueci-me de assinar: rui:alexandre

(no subject) (Anonymous) Expand
  • 1