?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
ai livrai-me dele
rosas
innersmile
Já aqui devo ter falado do primeiro disco dos Secos & Molhados, o grupo que trouxe ao mundo o Ney Matogrosso, editado em 1973. Esse disco encantou-me há mais de 30 anos, quando o conheci e ouvi intensamente (o meu irmão tinha o LP), e continua a encantar-me sempre. Acho que não houve altura da minha vida em que eu tenha estado muito longe dele.

Para além do seu papel revelador e mesmo pioneiro (a vários títulos), trata-se de uma formidável colecção de canções, clássicos absolutos, canções de uma modernidade a toda a prova, que fazem a ponte entre a capacidade da MPB de explorar o sentimento de ser brasileiro e a explosão de energia emocional do rock. Basta referir, para ilustrar a resistência ao desgaste destas canções e o seu classicismo, a Rosa de Hiroshima que é uma canção que marcou a carreira toda do Ney. Mas não é, pelo menos na minha opinião, a melhor canção do disco, no sentido de que se destaca das restantes. Não porque haja outras melhores, mas porque são todas verdadeiramente extraordinárias, e não há pinga de exagero nisto que digo.

Como disse, não houve altura da minha vida que este disco tenha parado de me encantar, e acho que já passei por todas as canções, ou seja já houve fases da minha vida, da minha vida emocional, que invocaram várias, se não todas, as canções do disco. Por estes dias tenho andado com uma delas a tocar quase em loop no meu player mental, a Rondó do Capitão, cuja letra é um poema de Manuel Bandeira (pergunto-me se foi com esta canção que pela primeira vez contactei com a poesia de Bandeira, imensa e grandiosa). Talvez por me transmitir um sentimento de magoada esperança, talvez por ser quase uma canção de embalar e eu andar muito precisado que me ninem.

Como não encontrei nenhum clip da canção no YouTube, fiz um do-it-yourself muito elementar só para a poder pôr aqui. Fica também a transcrição do poemazinho de Manuel Bandeira. E se alguém quiser aproveitar a oportunidade de deitar o dente e os ouvidos a este disco extraordinário, aí fica o link do blog Um Que Tenha, que é o melhor serviço público para quem é amante da música e da cultura brasileira.



Bão Balalão
Senhor Capitão
Tirai este peso
Do meu coração.
Não é de tristeza,
Não é de aflição.
É só de esperança,
Senhor capitão!
A leve esperança,
A aérea esperança...
Aérea, pois não!
- Peso mais pesado
Não existe não
Ah,livrai-me dele,
Senhor capitão!


- Manuel Bandeira, in LIRA DOS CINQUENT'ANOS


  • 1
Que bom começar o dia com esperança de ele acabar bem. Para mim, que estou muito longe de casa, é sp bom começá-lo contigo. E hoje o sol está enorme.

bjs e obrigada por me ninares todos os dias. Pena não poder fazer o mesmo por ti.

Sara

ninas-me pois. levanta mais um bocadinho o véu: lês-me onde, em que cidade? é que agora que tenho um nome, quero uma geografia :)

Bruxelas. :(

ah, sem razões para :(, deve ser óptimo estar aí, mais ao centro

Não conhecia - é muito bonito :)

epá, não deixes de ouvir o disco, é extraordinário :)

O segundo disco é emocionante, também, apesar de seu pano de fundo triste e magoado com as pressões que trouxe aos Secos & Molhados o sucesso imediato, de que decorreu uma urgência de profissionalização do grupo. Antes fossem todos artistas estreantes tão amadores (no sentido de "aqueles que amam") quanto foram os S&M.
E a esperança também há, nesse disco menos conhecido, ofuscado pelo afastamento dos integrantes: uma esperança triste, na canção chamada "Delírio" - Não vou buscar a esperança na linha do horizonte/ Nem saciar a sede do futuro/ Da fonte do passado nada espero e tudo quero/ Sou quem toca, sou quem dança/ Quem na orquestra desafina// Quem delira sem ter febre/ Sou o par e o parceiro/ Das verdades, a desconfiança

Um grande abraço, meu caro. E um chamego junto.
Eduardo Carbone

querido Edu: acho que nunca ouvi e segundo disco, mas também acho que não passa de hoje :)
adoro sempre os teus comentários. e o chamego então, nem se fala :)

Depois conte o que achou do disco, estou curioso. Se não me engano, há uma canção sobre poema do Fernando Pessoa e algum trecho do Cortázar musicado... É delicioso, enfim!
Edu

conto sim. já o tenho, mas ainda não ouvi com atenção

Os Secos e Molhados ficam para sempre na história da MPB.
Mas o destaque vai mesmo para a poesia de Manuel Bandeira, um dos maiores poetas de sempre da língua portuguesa; chegou ao meu conhecimento, muito tempo antes dos S.M., por alguém que me recomendou um livro seu; nunca mais abandonei a sua poesia.
Pena que não seja muito conhecido em Portugal; não há ninguém razoavelmente culto no Brasil, que não conheça Pessoa; e em Portugal, quem conhece bem M.Bandeira???
Abraço do pinguim.

adoro o Manuel Bandeira. estava aqui a pensar se o primeiro poema que conheci dele foi este ou se foi o Portugal Meu Avôzinho, que vinha sempre nas selectas de leitura das disciplinas de língua portuguesa, no liceu :)
abração

Há sempre coisas boas para recordar...
Abração grande
Miguel

Momento "Gozando com o pau dos outros":

Sou "amiguinho" da sobrinha-neta do Manuel Bandeira, Maria Helena Bandeira - ela própria escritora, escreve contos de Ficção Científica e Fantasia dos quais gosto muito. Ela me deu de presente um exemplar das "Poesias Completas" do tio-avô (ela é uma das herdeiras do poeta), e um CD com poemas lidos pelo Bandeira e outros pelo Drummond. Fofo, não?

(Como você já deve ter percebido, vivo de doações literárias alheias - sou praticamente uma Blanche Dubois da literatura)

mas para mim e secretamente serás sempre o Stanley :)

Tongzhi

(Anonymous)
Tenho esse disco em "vinil"!!!
Também me fartei de ouvir todas as músicas.
Alguns dos teus posts constituem um verdadeiro álbum de BOAS RECORDAÇÕES!!!

fico contente por serem BOAS :)

não conhecia ... mas gostei, vou tentar descobrir mais sobre os secos e molhados.

é por seres muito novinha. mas olha que fazes bem em descobrir, este disco é fabuloso.

1."Tão Balalão
Cabeça de cão
Orelhas de gato
Menino bonito
Não tem coração"

2."- Corre. Acabei de colocar comprimidinhos de Lactopurga no copo de cerveja daquele escroto que ficou contigo.
- Você, o quê!?
- Coloquei mesmo! Quem não tem coração, que pelo menos tenha um bom cu.
- Você não fez isso...
- Fiz, sim. Agora vamos embora porque a Luciana ligou e está nos esperando lá fora."

Abraço do Capitão (em fase humor-grunho...)

ouch, como diria o ET

  • 1