?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
(no subject)
rosas
innersmile
Com acesso a net muito condicionado, tempo para uma entrada breve.
Estou a gostar muito da Malasia, sobretudo de tudo aquilo que aqui e muito diferente daquilo a que estamos habituados. E sempre uma licao olharmos o mundo pelos olhos dos outros, sobretudo tentar olhar o 'nosso' mundo por esse olhar outro.
Kuala Lumpur e uma cidade imensa e moderna. O que nao e necessariamente uma boa noticia. E uma cidade onde nao se pode passear a pe, alias a maior parte das ruas nao tem passeios nem passadeiras, por isso da para ver o nivel da coisa. Dominam as auto-estradas, os arranha-ceus e os centros comerciais gigantescos. Agora o que e fascinante e ver como a Asia entra por isso tudo dentro, altera a paisagem, muda o cunho, marca e assina.
Ja fui a Malaca. Uma cidade pequena, menos cosmopolita do que KL, onde e possivel ver e tentar perceber as coisas com mais calma e atencao. Ver os restos da passagem dos portugueses (de Afonso de Albuquerque) pela cidade. A poucos quilometros do centro ha uma comunidade portuguesa. O mais interessante e chegar la e perceber que aquela comunidade pobre nao tem nada a ver com Portugal. Nada! E no entanto afirmam-se portugueses. Sao os portugueses de Malaca. Lembrei-me da famosa frase do A.B. Kotter de que os portugueses de hoje nao sao descendentes dos que foram a India, mas dos que ficaram; lembrei-me porque em Malaca, no portuguese settlement, tive oportunidade de conhecer, pela primeira vez, os descendentes dos portugueses que foram a India! Mas e nestas ocasioes que tenho orgulho em ser portugues, quando vejo que em lugares remotos, tao longe de nos no espaco e ate no tempo, ha pessoas que seguram com forca os tenues lacos que as ligam a nos. Ouvir a Sharon a falar kristao (o dialecto que os descendentes dos portugueses falam, e que e uma mistura do malaio com o portugues arcaico) foi tao comovente como ver o guarda do Palacio de Sao Paulo na Ilha de Mocambique a por-me a prova no reconhecimento dos retratos dos reis de Portugal. Esse orgulho que pessoas que nao teem nada a ver conosco sentem pela nossa cultura e pela nossa historia, e como se agarram aos restos remotos da nossa presenca e os transformam em tradicao e cultura proprios, sao a unica prova de que o meu pais pode ser grande e generoso.

Nao sei quando voltarei a ter acesso a net. Como e obvio, ha um premio (simbolico) para quem conseguir e tiver a paciencia de ler esta entrada sem acentos.

Aproveitar ainda o espaco e o tempo para mandar lembrancas aos meus amigos que leem o innermile (sim, estou a falar mesmo convosco) e dizer que nao consigo mandar sms do telemovel (se nao ja tinha mandado muitas) mas que posso receber, por isso podem-me mandar umas mensagens e fiquem a saber que mesmo sem resposta, e como se respondesse. muitos beijos e abracinhos.
Tags:


  • 1
Parabéns por mais esta 'crónica de viagem', que exerce sempre grande fascínio (estou a recordar-me das 'crónicas do Egipto'...)
É sempre um prazer renovado passar por aqui.
Abraço.

Leonel Vicente

Obrigada por isto! Beijos.

espero q tenhas tirado fotos aos nossos amigos portugueses!!

Gostei imendo do que li, mesmo sem acentos.
Continua a fazer uma boa viagem.

Bestial! :) Maravilha de viagem. Fico na ancia daquilo que tens pela frente!

Que bom que está se divertindo.

O teu relato expressa muito do que senti na minha passagem por Goa. É incrivel como o nosso pais significa tanto para gente tão distante... gerações após a nossa partida.

Continua a dar noticias!

Yo ma man!

Keep on rocking :)

sms is going just........................ Now!!!


:)

Retorta

bom passeio :D

e se precisares de alguma coisa, apita, que tenho por aí família :)

  • 1