miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

conto: couraça de lisboa

COURAÇA DE LISBOA

As tuas janelas são muralhas, e é nelas que eu me reflicto enquanto fumo cigarros, encostado de encontro ao muro. Do teu posto de vigia vê-se um rio, vêem-se as verdes margens, campos que correm para o mar. Vêem-se as pontes, onde eu me ardo quando regresso, num verão ou noutro, para tu me veres da tua janela.
- Tu és o meu senhor.
- E tu, és rainha e criada, santa e ceifeira dos meus mais obscuros milagres.
Tags: contos
Subscribe

  • tarde de sábado

    Entrei na livraria perto da hora do almoço de sábado, e fui sentar-me na cafetaria, na mesa do canto, junto à montra envidraçada. Na mesa ao lado,…

  • frangipani (balada)

    Trazes a flor do frangipani. Era um terreiro amplo, de terra batida, limpo de tão varrido. Pequenas pedras caiadas de branco desenhavam canteiros…

  • conto

    DOMINGO À TARDE Íamos no carro e a Conceição, tentando suster as lágrimas, disse-me que nunca se podia esquecer de que tinha sido ela quem lhe tinha…

  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 0 comments