?

Log in

No account? Create an account

silent pain and happiness
rosas
innersmile
Já aqui devo ter falado no assunto, mas tenho uma relação com a música do Caetano Veloso desde o verão de 1977, quando vivemos todos juntos na Amadora, e o meu irmão tinha uma pequena coleção de discos (em vinil, claro) que ouvíamos continuamente, e um desses LP’s era a mítica gravação de um concerto do Caetano e do Chico, de 1972. Pouco depois de vir para Coimbra comprei o álbum Bicho (sim, sou fã do Leãozinho desde que a canção foi lançada) e a partir daí foi sempre mais e mais Caetano.

Essa relação adquiriu uma nova dimensão quando, já depois de ter tido cancro e de ter estado em Londres a fazer tratamentos, redescobri a canção London London, que eu tinha num LP duplo, numa coleção de colectâneas intitulada “A Arte De”. Essa canção, a sua letra mas também a toada melancólica, traduzia na perfeição o que tinha sido e continuava a ser a minha relação emocional com a cidade, a minha experiência de ter sido um doente de cancro que esteve em Londres durante muitos meses a fazer tratamentos. A sensação de conforto e bem estar que a cidade proporcionava, de segurança e tranquilidade. De estarmos num sítio onde as coisas eram bem mais interessantes e divertidas, do que naquele outro sítio de onde provínhamos. E no entanto os nossos olhos sempre fugiam para o céu à procura do que não havia, daquilo que a cidade e a nossa vida nela, não eram capazes de nos dar.

Durante toda a minha vida, London London deu-me essa sensação de tristeza mansa, de “silent pain and happiness”. Uma destas tardes lembrei-me de a ouvir e mal chegou ao primeiro refrão eu já estava chorar copiosamente. O gato a dormir ao meu colo, o livro pousado no peito, interrompido, e eu agarrado ao tablet a chorar. A sentir outra vez a tristeza e o desânimo imensos de estar de novo doente, convivendo com uma necessidade de me sentir apaziguado e feliz, que faz parte da minha maneira de ser. A sentir-me sozinho: "I'm lonely in London", em casa, na canção, na minha vida. E desta vez ainda mais, pois falta-me quem também me ajudava a dar sentido à canção.

Naturalmente, a versão da canção do Caetano que sempre me acompanhou foi a gravação original, dos anos de exílio em Londres, e que pode ser escutada neste link: https://youtu.be/v3Xngs4VuoU. Mas escolhi para pôr aqui uma versão bem mais recente, gravada ao vivo, da série de discos, inaugurada com Cê, que Caetano gravou com um trio de bateria, baixo e guitarras elétricas.



I'm wandering round and round nowhere to go
I'm lonely in London London is lovely so
I cross the streets without fear
Everybody keeps the way clear
I know, I know no one here to say hello
I know they keep the way clear
I am lonely in London without fear
I'm wandering round and round here nowhere to go
While my eyes
Go looking for flying saucers in the sky
Oh Sunday, Monday, Autumm pass by me
And people hurry on so peacefully
A group approaches a policeman
He seems so pleased to please them
It's good at least to live and I agree
He seems so pleased at least
And it's so good to live in peace and
Sunday, Monday, years and I agree
While my eyes
Go looking for flying saucers in the sky
I choose no face to look at
Choose no way
I just happen to be here
And it's ok
Green grass, blue eyes, grey sky, God bless
Silent pain and happiness
I came around to say yes, and I say
But my eyes
Go looking for flying saucers in the sky