July 19th, 2016

rosas

calor

Passei os primeiros dias desta onda de calor com um sentimento de preocupação, vago e indefinido, a sensação de que havia qualquer coisa que eu deveria fazer e estava a negligenciar. Tive de parar e tomar consciência: faltava-me “tomar conta” da minha mãe, recomendar-lhe que não saísse, sobretudo às horas de maior calor, que bebesse muitos líquidos, que mantivesse os estores corridos para manter a casa menos quente, que fizesse uma sesta nos quartos mais frescos da casa. O nosso cérebro demora mais tempo do que nós a adaptar-se à realidade. As coisas importantes ficam gravadas de forma indelével na nossa mente.