June 26th, 2016

rosas

outra vez

É o melhor das horas, tudo outra vez. Logo à chegada, enquanto lá fora o sol arde branco na cal dos muros, na cálida sombra dos quartos o meu baby conquista-me com um sorriso de involuntária felicidade quando lhe toco com dedos leves. Mais tarde, quando deslizo já para a despedida, adormece devagarinho nos meus braços. Canto-lhe muito baixinho “mas alguma coisa acontece no quando agora em mim” e deito-o no berço. Ele abre os olhos, deita fora a chupeta, mexe os bracos, boceja e adormece profundamente. Venho-me embora. “Cantando eu mando a tristeza embora”.