February 17th, 2016

rosas

todo teu, full exposure



A Index Ebooks acabou de lançar o primeiro episódio de uma nova série, intitulada Todo Teu, da autoria de Nuno Oskar. Este primeiro episódio intitula-se Sábado e apresenta-nos os protagonistas e as premissas da história: Nuno e Duarte conhecem-se, através de amigos comuns, numa zona balnear ao sul de Lisboa e, apesar de alguns mal-entendidos e contratempos, surge uma forte atracção entre ambos.

A história é-nos narrada a duas vozes, pelos dois protagonistas, de maneira alternada, o que nos permite perceber quais as motivações de cada um deles, e antecipar que a tensão que existe entre ambos poderá evoluir para uma história de dominação, quer física quer psicológica.

O estilo da escrita é simples e leve, a narrativa vai fluindo ao sabor dos desenvolvimentos e das peripécias dos encontros sucessivos que marcam o dia de Sábado. Falta um pouco de densidade às personagens, talvez, mas, por outro lado, pareceu-me que a narrativa tem um bom ‘ouvido’ para os diálogos e que retrata com razoável verosimilhança o que pode ser um certo universo ou estilo de vida gay.

O estilo da escrita, a envolvência da narrativa e a evolução da história, para além da extensão da publicação tornam o livro de leitura aconselhavel para, por exemplo, um sábado! Além disso, este primeiro episódio da série é de download gratuíto, o que faz com que não custe nada experimentar, e penso que vale a pena porque é das primeira coisas deste género que leio escritas em português e tendo por pano de fundo uma realidade que nos é próxima ou pelo menos conhecida.

Os links para download do livro (grátis!, torno a sublinhar) estão neste endereço, da página que a Index dedicou ao livro: www.indexebooks.com/todo-teu-sabado



Já que estava com a mão na massa decidi finalmente experimentar um estilo de literatura que mistura o romance com o erotismo. Confesso que não percebo muito bem um certo fenómeno que passa por donas de casa e mães de família escreverem (e lerem) um género de livros que aparentemente está distante das suas realidade. O ponto é que este tipo de literatura produz de forma maciça, tem centenas e centenas de livros publicados com ritmo elevado e constitui um sector significativo da edição lçiterária, nomeadamente de livros electrónicos.

Decidi-me por uma novela (pouco menos de cem páginas), intitulada Full Exposure, da autoria de Amy Jo Cousins. É a história de um encontro, que começa mal mas acaba bem (onde é que eu já li isto?), e de maneira particularmente tórrida, entre uma estrela pop em conflito de identidade (milhões de discos vendidos e suspiros das adolescentes vs. integridade artística) e um rapaz bem formado com uma tatuagem enorme nas costas.

Reconheço o valor de entretenimento deste tipo de literatura, e até achei o livro muito simpático, mas não me prendeu, não fiquei fã. Mas quem sabe, um dia destes volto a experimentar.