?

Log in

No account? Create an account

acordar
rosas
innersmile
Vejo no site da revista The Atlantic um ensaio fotográfico sobre o acordar e os rituais matinais: o dia antes do dia começar. São cinco fotos sobre cinco pessoas (anónimas), cada foto retrata uma das seguintes questões, a que os fotografados respondem: qual o primeiro pensamento quando acordam, quais as rotinas matinais, qual o papel das redes sociais na vida quotidiana, saber se hoje em dia estamos mais ou menos ligados aos outros do que antes, e quais são as coisas verdadeiramente importantes na vida.

Em relação à primeira questão, acho engraçado que, com excepção da última das fotografadas, que pensa que quer dormir mais trinta minutos, os restantes sujeitos pensam sempre coisas com uma certa grandeza: planeiam o dia, pensam que querem fazer alguma coisa que valha a pena, esse tipo de coisas.

Ponho-me então a pensar no que são os meus próprios primeiros pensamentos, aquilo que ocupa o meu cérebro nos momentos em que estou a acordar. Não tenho bem a certeza, mas acho que é uma mistura de quatro ou cinco coisas. Uma delas, suponho que a primeira, é que o gato me está a acordar, e o que é que eu posso fazer para o impedir de raspar com as patas na roupa de cama mesmo ao lado da minha cabeça, e que já que não posso fazer nada o melhor é fazer-lhe uma festinha e brincar com ele à brincadeira de esconder as mãos debaixo do lençol e provocá-lo com toques nas patas.

Muitas vezes os meus primeiros pensamentos matinais têm a ver com algum sonho que eu estava a ter, fico ali uns momentos sob influência do sonho, a pensar se aquilo que estava a sonhar é verdade ou se fazia parte do sonho, e que raio é que aquilo que eu estava a sonhar significa.

Outra coisa que me passa pela cabeça quase todas as manhãs, para não dizer mesmo todas, enquanto brinco com o gato, é o dia da semana em que estamos e quantos dias faltam para o fim de semana, para não ter de me levantar para ir trabalhar. Isto porque a maior parte das vezes, quando tenho alguma coisa de fora de vulgar para fazer nesse dia, ou, se calha ao fim de semana, tenho de me levantar para ir nadar, ou porque tenho alguma coisa combinada, o que me passa pela cabeça é mesmo que não me apetece.

O outro pensamento recorrente é saber se estou ou não com vontade de urinar, tentar recordar-me quantas vezes me levantei para urinar e a que horas terá sido a última vez que me levantei.

É tudo muito prosaico, eu sei. Não tenho a certeza se gostaria de ter pensamentos grandiosos logo ao acordar, acho que ainda assim prefiro acordar com as travessuras do gato, por muito irritantes que elas sejam na altura. Uma coisa de que não sei se deva sentir embaraço, é que raras vezes penso no trabalho, naquilo que tenho de fazer nesse dia. Acho que na maior parte dos dias só começo a pensar no trabalho quando já vou a caminho, no carro, e mesmo assim isso só acontece naquelas ocasiões em que tenho qualquer coisa importante para fazer, qualquer coisa que fuja mesmo à rotina.