October 12th, 2015

rosas

as mil e uma noites, volume 3: o encantado. the intern

O terceiro volume de As Mil e Uma Noites, de Miguel Gomes, tem por subtítulo O Encantado. Foi, dos três, o que menos gostei, sobretudo por causa do arranque, com a própria história de Xerazade. No entanto, a história dos criadores de tentilhões, nas zonas periféricas a norte e a oriente de Lisboa, é uma das melhores de todo o filme, e tem o carácter encantatório que percorre toda a narrativa e que faz jus ao título do filme.

Há um aspecto importante que julgo que ainda não destaquei e que é a banda sonora. Tem verdadeiros achados, nomeadamente ao utlilizar canções pop, algumas delas que foram hits gigantescos; neste terceiro volume, a jóia da coroa da banda sonora vai para a utilização de uma versão fabulosa de uma velha canção dos The Carpenters, Calling Occupants of Interplanetary Craft, interpretada no âmbito de um projecto feito com alunos de escolas primárias norte-americanas; o projecto chama-se The Langley Schools Music Project, foi gravado nos anos 70 e editado já neste século, em 2001, e recria canções pop da época (Beach Boys, Bowie, Beatles, entre outros). Fiquei surpreendido quando se começa a ouvir a canção, pois julgava que este cd estivesse completamente esquecido, apesar de ter sido considerado um dos discos do ano, quando foi editado.


Fui também ver no fim de semana The Intern, uma comédia realizada pela Nancy Meyers, com o Robert De Niro e a Anne Hathaway nos protagonistas. É uma coisa levezinha, bem feitinha, boa para uma tarde de domingo de chuva, sobre uma jovem executiva em crise de crescimento (profissional e familiar) que se prende de amizade com um interno da terceira idade, cheio de experiência e boa-vontade. É sempre bom ver o De Niro trabalhar, mas aqui também o seu trabalho está mais para o levezinho.