May 3rd, 2015

rosas

mother's day



No dia 2 de abril, quando fez um mês que a minha mãe faleceu, eu fui para o Algarve, para passar uns dias com a minha baby e os meus sobrinhos. Ontem, fui almoçar com a minha tia e a minha prima a Rio de Mouro, onde tirei uma foto a uma fotografia antigo, em que a minha mãe tem dois anos de idade. Acho que a minha mãe aprovaria a escolha de aproveitar esta data para me divertir e estar com pessoas de quem gosto em vez de mandar rezar missas, ou estar sozinho a ter pena de mim próprio. Não consigo sentir tristeza maior ou mais poderosa do que a sinto pela sua ausência, nem mais saudades do que aquelas que andam sempre comigo. E vivo essa tristeza e essas saudades da mesma maneira como eu sei que ela vivia as suas próprias perdas irreparáveis.

Depois do almoço fui ter com o meu amigo João e fomos para Lisboa, para participar numa sessão de lançamento promovida pela Index ebooks. Teve lugar no Centro LGBT da Ilga Portugal, em plena baixa lisboeta; foi a primeira vez que eu lá fui e gostei de lá ter ido. Apesar de não ter ocorrido exactamente como previsto, devemos ao livro Dois Mundos e ao seu autor, a oportunidade de passar um belo pedaço da tarde a falar de livros, do seu e de muitos outros. E eu agradeço-lhe ainda a oportunidade sempre rara de me encontrar e conviver com algumas das minhas pessoas favoritas e a quem mais admiro. O convívio prolongou-se depois num repasto que correspondeu por inteiro àquilo que me parece ser a definição de um jantar perfeito. E isto para nem falar no bacalhau cozido com grão.

Foi um sábado que me soube pela vida, e como eu já não tinha há algum tempo. Tenho de agradecer ao João, à Margarida, ao João, ao Luís, à Patrícia, ao Marco, ao Paulo e, claro, ao Pedro, por me terem ajudado a lembrar-me da minha mãe da melhor maneira possível.