March 21st, 2015

rosas

limerick da tv cabo

Na quinta-feira ao final da tarde vieram cá a casa actualizar o meu serviço de tv cabo para a fibra óptica. Estava eu de comando na mão a experimentar as funcionalidades da nova box e a pensar que seria um dinheirinho tão mal gasto não se desse a circunstância de pagar menos do que pagava antes, mesmo com aquelas coisas da gravação automática e da gravação manual e isso tudo. Vá-se lá compreender...

Entretanto como hoje é dia internacional da poesia, decidi fazer um poeminha alusivo à minha nova box.


LIMERICK DA TV CABO

Havia em Coimbra um rapaz da tv cabo
Como montador de boxes era um bocado nabo
Mas quando ele se dobrava
E a camisa levantava
A vista se regalava com seu esplendoroso rabo