March 15th, 2015

rosas

cogumelos

Tive um sonho esta noite que me parece adequado, apesar de ainda o recordar com uma sensação desagradável. Foi mais um pesadelo e não foi bem de noite, passou-se tudo entre as oito e as nove da manhã, quando voltei a adormecer depois de me ter levantado para ir dar de comer ao gato.

Eu estava com outras pessoas no jardim do hospital onde trabalhei antigamente, e uma dessas pessoas creio que era a minha mãe, parece-me até que eu estava no hospital porque a tinha ido acompanhar. Havia muito movimento, uma grande multidão, como se fosse uma feira, e muitos carros a passar na rua. Acho que quando o sonho começou, ou quando eu me lembro de ter começado, chovia. Já não sei porquê, numa ocasião em que estava junto à escadaria de pedra que desce para o jardim que fica em frente ao meu antigo gabinete, levantei a perna da calça e descobri que tinha umas manchas cinzentas, de uma cor metalizada e ferrugenta, na perna esquerda, de lado, um pouco abaixo do joelho.

Fiquei sempre com a impressão de que tinha alguma coisa naquele sítio e quando confirmei passado um bocado, as manchas tinham-se transformado em cogumelos, alguns deles já bastante grandes. Mostrei aquilo a alguém, possivelmente a um médico, que me mandou comprar um medicamento qualquer, uma tintura ou uma pomada para aplicar no local, mas primeiro baixou a perna das calças, que nesse momento eram de fato de treino cinza claro, e esfregou com força para destruir os cogumelos, que se desfizeram em detritos como se fosse pedaços de terra quando se cava. Acordei com a preocupação de que as calças tinham ficado todas sujas, e durante uns momentos senti-me desagradavelmente incomodado.