December 27th, 2014

rosas

inventário I: concertos, exposições, dança, teatro, música

Como tive uma actividade cultural muito fraquita, este ano, este primeiro inventário abrange os concertos, as exposições, a dança, a música e o teatro. Se e quando conseguir, farei mais dois, dedicados ao cinema e, claro, aos livros lidos. Então foi mais ou menos assim.

CONCERTOS
- Ute Lemper, no Teatro Aveirense
- Márcia, no Auditório do Conservatório de Música de Coimbra
- A Naifa, no Cine-Teatro de Estarreja
- Anaquim + Deolinda, no TAGV
- Jorge Palma, no Auditório do Conservatório de Música de Coimbra
- Rodrigo Leão e Ólafur Arnalds, no TAGV
- CoJE (Coimbra Jazz Ensemble) + Jacinta, no Auditório do Conservatório de Música de Coimbra
- Camané, no CAE da Fig. Foz
- Ana Moura, no Cine-Teatro de EStarreja
- Sérgio Godinho, Liberdade, no TAGV
- Ricardo Ribeiro, Paulo Soares e Luís Alcoforado, no anfiteatro ao ar livre da Quinta das Lágrimas
- Paula Oliveira e o Hot Club de Portugal (com Bernardo Moreira, cb, Manuel Jorge Veloso, bt, e António José Veloso, p) e convidados, no Auditório do Conservatório de Música de Coimbra

EXPOSIÇÕES
- Rui Chafes, O Peso do Paraíso, CAM
- João Tabarra, CAM

DANÇA
- Jim, pela Companhia de Paulo Ribeiro, no Teatro Aveirense
- Multiplex, de Rui Horta, no Cine-Teatro de Estarreja

TEATRO
- As Alegres Comadres de Windsor, de WS, pela Bonifrates, enc João Maria André, na Casa Municipal da Cultura
- Hamlet em Pessoa, poesia, com André Gago e música ao vivo de Carlos Barreto
- Regresso a Casa, de Arold Pinter, enc. Jorge Silva Melo, no TNDMII
- Monty Python Live (mostly), transmissão em directo, no cinema, do espectáculo ao vivo na Arena O2, em Londres

Os destaques vão para os concerto de Sérgio Godinho, de camané e da Ute Lemper, para a exposição exaltante de Rui Chafes, para o espectáculo de Rui Horta, sempre muito inteligente e estimulante, e para a crueza quase brutal de Regresso a Casa, na encenação de Jorge Silva Melo

MÚSICA
Em termos musicais o destaque vai, não para um músico, mas para a plataforma Spotify, que me permitiu ouvir música a rodos, descobrir novos nomes e revisitar as obras de grandes músicos, sobretudo da música popular. Ouço música sobretudo em casa, normalmente quando estou a ler, no carro, principalmente nas viagens, ou quando dou umas passeatas a pé. Apesar de me ter fixado pouco em álbuns, estes foram alguns dos que mais tocaram nas várias plataformas onde ouço música:

- Ricardo Ribeiro, Largo da Memória
- Keith Jarrett e Charlie Haden, Last Dance
- The Legendary Tiger Man, True
- Brian Eno e Karl Hyde, Someday World
- Rodrigo Leão, O Espírito de Um País