?

Log in

No account? Create an account

jackie old
rosas
innersmile
21942122

O Armistead Maupin publicou Jackie Old em 1980, numa revista, fazendo um exercício de antecipação, já que a história se passa em 1999. Trata-se de um diário que cobre alguns dias do mês de Outubro, escrito por John Kennedy, ou John-John, o filho do presidente dos EUA JFK, e versa a sua relação com a mãe, Jacqueline Kennedy Onassis, que vive numa espécie de reclusão a la Garbo; John-John é casado com Jade Jagger, a filha de Mick Jagger e de Bianca, que é, ao tempo da acção da história, mayor de São Francisco. O livro foi recuperado pela Amazon, e lançado como e-book na sua colecção kindle single.

A prova de que Maupin estava longe de ser um Nostradamus, é que as suas personagens em 1999 estavam longe da situação descrita na história: mãe e filho já tinham morrido na altura, John-John num desastre de avião, por mórbida coincidência no ano em que se passa a acção da história, em 1999, e Jackie em 1994, tendo levado uma vida discreta, mas nunca longe da atenção dos media.

Mas se é verdade que o livro de Maupin nos diz mais acerca de 1980 do que de 1999, o ponto é que no centro da história está um conflito muito actual, entre a comunidade gay e os grupos de fundamentalistas religiosos que, na ficção do livro, tinham conquistado o poder, e o palco do confronto, como não podia deixar de ser, é a cidade gay por excelência dos EUA, São Francisco.

Para além deste tema político, que sempre está presente na literatura de Maupin, o principal interesse do livro prende-se, é claro, com a própria escrita do autor, com o seu humor levemente ácido, com a leveza da narrativa, com a riqueza dos diálogos, com a capacidade de criar personagens que passamos imediatamente a amar. Trata-se de uma obra breve, com poucas dezenas de páginas, e que se lê numa tarde, ou menos do que isso, mas que é uma espécie de amuse-bouche entre outras leituras.