November 6th, 2014

rosas

um conto para a Margarida

UMA VIDA ROUBADA

Sou sempre o primeiro a chegar à repartição. Levanto-me muito cedo, dou de comer ao gato, e saio para a rua. Na pastelaria da esquina sou dos primeiros a entrar para o pequeno-almoço habitual. Dois dedos de conversa, uma viagem breve de autocarro, e estou no serviço. Penduro o casaco numa cruzeta, visto um de malha que tenho no cacifo, e sento-me à secretária, na solidão da enorme sala vazia, com uma hora inteira para terminar coisas deixadas da véspera, adiantar algum trabalho agendado para o dia, ou simplesmente divagar.
Na quarta-feira, depois de ligar o computador do serviço e conferir o correio, abri o meu tablet pessoal e entrei no facebook. Percorri rapidamente o mural à procura de alguma coisa interessante, e parei numa fotografia. Poucas horas antes, no outro lado do mundo, o meu irmão publicara uma foto em que ele aparecia, acompanhado de algumas outras pessoas, a pôr pela primeira vez na água um pequeno veleiro que ele próprio construiu.
Trata-se do meu único irmão, com quem não estou há perto de dez anos, desde que ele decidiu trocar a cidade e o país onde vivíamos, por uma casa numa praia remota de uma país do terceiro mundo. Não sei o que faz nem do que consta a sua vida, e o contacto que mantemos reduz-se praticamente à rede social onde trocamos breves e cordiais comentários a propósito das histórias quotidianas que publicamos, sem grande conteúdo ou importância.
Naquele momento, a quarta-feira pareceu-me interminável.


_______________________
Tal como já tinha acontecido o ano passado, a Margarida desafiou os leitores do seu blog (link: umbloguesemnome.blogspot.pt/) a avançar títulos para os quais ela escreve contos com 250 palavras. E, tal como dantes, resolvi escrever eu também um conto para corresponder ao desafio. O belíssimo conto que a Margarida escreveu para o meu título está no link seguinte: umbloguesemnome.blogspot.pt/2014/11/o-conto-do-miguel.html.