October 24th, 2014

rosas

just in time: paula oliveira e o hot club de portugal

Ontem, no auditório do Conservatório de Música de Coimbra, a apresentação do álbum Just In Time. Um disco de standards, para cuja gravação a cantora Paula Oliveira agregou três históricos do jazz em Portugal, desde sempre ligados ao Hot Club: o contrabaixista Bernardo Moreira, o baterista Manuel Jorge Veloso e o pianista António José Veloso, cuja soma de idades rondará o quarto de milénio. Convocados ainda para o concerto de ontem, quatro dos jovens solistas que participam no cd como convidados: Pedro Moreira no sax, João Moreira no trompete, Jeffrey Davis no vibrafone, e o grande guitarrista Bruno Santos. Antes do concerto foi ainda apresentado um documentário, com cerca de 45 minutos de duração, com a história do projecto, depoimentos do músicos participantes e gravações dos ensaios.

É importante esta descrição, porque só por aí se fica a perceber que foi uma ocasião especial, a apresentação ao vivo de músicos tão extraordinários. Não só por serem bons executantes (apesar de já não tocarem há décadas, todos juntos há mais de quarenta anos), mas principalmente por serem músicos que estão tão embrenhados na cena jazz nacional, na sua história, aliás na sua fundação.

O resultado, como seria de esperar, foi um jazz muito clássico, seguro, sereno mas muito cool, e completamente intemporal, ou seja, é o tipo de jazz que se fazia há cinquenta anos nos clubes de jazz de Lisboa ou de Nova-Iorque ou de Paris, e é a música que ainda hoje, feita com dedicação e profissionalismo, soa fresca e entusiasmante.

Não é possível destacar prestações individuais, nem sequer dos solistas, mas não se deve perder a oportunidade de afirmar a excelente cantora que é a Paula Oliveira, dona de um timbre cristalino, de uns baixos poderosos e de uma afinação sempre impressionante seja qual for o tom em que a sua amplitude vocal consegue trabalhar; e que, além do mais, sendo a mentora do projecto e a “estrela da companhia”, tem a humildade suficiente para se pôr num plano mais discreto e dar o foco do projector a este trio maravilhoso.