?

Log in

No account? Create an account

the red shoes
rosas
innersmile
IMG_20141022_091829 IMG_20141022_091950

Fui na terça-feira a uma sessão do cineclube Fila K, para ver The Red Shoes, dos britânicos Michael Powell e Emeric Pressburger, de 1948. Já conhecia o filme, mas nunca o tinha visto projectado num ecrã grande, que é a única maneira como certos filmes pedem para serem vistos.

Para além de um grande filme, esta obra é também muito marcante por causa da sua ligação ao ballet, não apenas porque tem como tema central uma peça de bailado clássico, mas porque todo o enredo, e as personagens, vêm do mundo da dança: da personagem principal, Boris Lermontov, diz-se inclusivamente ter sido inspirada na grande figura de Diaghilev.

É um prazer imenso ver um filme que conta verdadeiramente uma história por imagens, e em que a narrativa é uma coisa quase palpável, tangível, ao contrário da maior parte dos filmes actuais, onde a narrativa é uma máquina de contar histórias em sentido mais ou menos literal. The Red Shoes vive verdadeiramente das imagens, da meticulosa construção do plano, dos enquadramentos rigorosos, da iluminação. Até dos adereços de cena e do guarda-roupa das personagens, tudo serve para nos dar informação. E, claro, da cor, tratando-se de um dos melhores exemplos da utilização do technicolor saturado, de cores muito marcantes, e que, lá está, ajudam a definir o tom da narrativa.

Todas as sessões deste mês do cineclube são dedicadas a esta dupla, conhecida, enquanto unidade produtora, por The Archers. Já perdi os dois primeiros (The Thief of Bagdad e A Matter of Life and Death), mas quero ver se não perco o próximo, um dos títulos mais polémicos da dupla.

Além do mais, esta revisão do filme de Powell e Pressburger serviu ainda para recordar o quanto o filme é influente na cultura popular nas últimas décadas. E não falo apenas em termos de ser um padrão para todo o cinema sobre o ballet feito depois dele; estou mais a pensar noutros domínios da cultura pop: para além da própria expressão 'red shoes' ser muito icónica (até temos uma cantora pop nacional com esse apelido artístico), lembrei-me, por exemplo, de que o verso 'put on your red shoes and dance the blues', da canção Let's Dance, do David Bowie, é uma citação quase ipsis verbis de um diálogo do filme. Menos 'the blues', é claro.
Tags: