September 22nd, 2014

rosas

jersey boys

Não conheço o musical da Broadway, sobre a vida e a música de Frankie Valli e os Four Seasons, que deu origem ao filme de Clint Eastwood; mas isso não é impeditivo de perceber que Eastwood, independentemente do material de origem, fez um filme dramático, de rosto humano, intenso e sensível como é apanágio do seu cinema.

Apenas na cena final, ou melhor, no finale depois do final, me lembrei de que o filme provinha de um musical. Até aí, Eastwood consegue fazer um filme sóbrio sobre a famosa tirada de Oscar Wilde: ‘we are all in the gutter, but some of us are looking at the stars’, explorando a ligação à mafia de New Jersey (olá Tony Soprano!) para dar o toque de vida perigosa. Isto, note-se, sem nunca tirar a primazia, e o brilho devido, ao que aqui à partida era o principal, ou seja as canções de um pop limpinho e perfeito dos Four Seasons, servidas na óptima tradição dos grupos vocais da música popular norte-americana.