July 24th, 2014

rosas

a espada

Depois de um mês e tal em consultas e exames, estamos mais ou menos na mesma: confirma-se que há células com atipia. A parte boa é que por enquanto são poucas, pelo que, de momento, não vão ser precisos tratamentos. A parte chata é que vou ter de fazer exames de controlo com intervalos mais apertados (o próximo é já daqui a dois meses), e tenho de ter algumas precauções, até, por exemplo, quanto ao que bebo, há certo tipo de bebidas com que vou ter de cortar (bye bye Coca-Cola).

Mas a parte mázita é que, pelo menos por enquanto, não consigo afastar completamente do meu espírito esta ideia de que há coisas no meu corpo que estão a bater mal e que eu não vejo nem controlo; e que, nestas circunstâncias, as coisas não podem correr melhor e por isso tenho já um encontro marcado no futuro com tratamentos ou cirurgias ou seja o que for, e não saber quando, ao invés de me descansar, deixa-me um bocado amarfanhado.

Estou muito desanimado. Sei que há quem esteja a passar por pior e nunca me esqueço disso. Ao contrário do que usualmente se diz, eu acredito que o mal dos outros nos consola, e o seu exemplo nos obriga a reagir. E acho que daqui a uns dias este peso sombrio vai-se dissipar e a vida vai voltar a ser mais ou mesmo na mesma ao que é todos os dias. Isto é mais ou menos como um tipo viver com uma espada a oscilar em cima da cabeça, sempre com medo que ela se solte por aí abaixo. Mas vendo bem, não é assim a vida de toda a gente?