January 20th, 2014

rosas

alegres comadres

Há muito tempo que não ia ver um espectáculo da companhia teatral Bonifrates, especialmente à sala que a companhia ocupa na cave da Casa Municipal da Cultura. E gostei muito de lá voltar. Primeiro, porque se tratava da peça As Alegres Comadres de Windsor, de William Shakespeare; nunca tinha visto esta peça em teatro, e é uma delícia, uma comédia de enganos ao mais alto nível, e um texto muito bem traduzido (por Ribeirinho, segundo informação da folha de sala). Depois porque a peça está muito bem encenada, por João Maria André, tirando excelente proveito da sala e dos adereços, com bom ritmo e explorando muito bem as situações de comédia. Finalmente os actores, todos de bom nível, mas com merecido destaque para Rui Damasceno, que compõe um Falstaff ali a meio termo entre o burlesco e a caricatura, mas a que o actor consegue sempre dar vida e respiração. A lotação estava esgotada na sessão a que assisti, e a peça ainda vai estar em cena até final do próximo mês, pelo menos, e vale muito a pena ver este espectáculo.