July 23rd, 2013

rosas

chegar e partir

"Coming to a place is always the first step towards leaving it", diz-se algures no livro policial que passei os últimos três dias a ler (faltam-me poucas páginas para terminar, quero ver se ainda hoje o acabo).

Nesta breve estadia em Monte Real tratou-se principalmente de fazer alguém feliz, alguém que merece e que fica feliz com pouco. E que hoje à tarde, quando estávamos de regresso, quase a chegar a casa, ficou tão triste, só porque tinham chegado ao fim três dias em que não fizemos rigorosamente nada, nem saímos do hotel, eu da beira da piscina, ela das salas simpáticas e bem decoradas, onde fez os seus passatempos, leu os jornais, e bebeu chá. Nem tudo correu bem. Ontem de manhã, levantou-se sem me chamar (eu estava na varanda do quarto a ler), e caiu, uma queda que não foi grave mas deixou mossa, mas que não a impediu de, à hora do almoço, atravessar o jardim da piscina para ir almoçar lá ao fundo, na esplanada.

Vou pôr aqui fotos que fiz nestes dias. Pormenores do hotel, da decoração, vistas da piscina, do edifício. E sobretudo uma fotografia que tirei de dentro do quarto e em que está sentada, a fazer palavras cruzadas, de frente para a janela rasgada que abre para a varanda e para o parque imenso e aberto.

Assim como viajamos para podermos regressar, uma ideia que vem da própria Odisseia, também é verdade, como se diz no livro policial que estou a terminar, que chegar a um lugar é o primeiro passo para o abandonar. Entre partir e voltar, entre chegar e partir, vamos, com cuidados e cautelas, subtil e delicadamente, guardando aquilo que não queremos perder. Nunca.


IMG_0021

IMG_0025

IMG_0040

IMG_0055

IMG_0059

IMG_0062

IMG_0070

IMG_0076

IMG_0087

IMG_0082