June 4th, 2013

rosas

the reluctant fundamentalist (4*)

Os criticos, pelo menos os portugueses, arrasam o último filme da Mira Nair, The Reluctant Fundamentalist, mas eu gostei bastante, aliás como de um modo geral acontece com os filmes da realizadora indiana: Monsoon Wedding é um dos meus filmes predilectos, daqueles que a gente sabe que não são grandes filmes, mas que têm um lugar muito aconchegado no nosso coração.

Este Fundamentalista Relutante é adaptado de uma obra literária, e isso é um bocado óbvio, uma vez que o filme desgasta-se um bocado a tentar estruturar-se enquanto narrativa cinematográfica, o que acaba por resolver através de longos flashbacks que têm o efeito de tirar um bocado de gás à intriga principal do filme.

Mas a Mira Nair tem uma maneira muito ‘quente’ (falta-me melhor palavra) de tratar e de filmar as personagens, e, neste como nos outros filmes que eu vi dela, é sempre por aí que me conquista. Há uma certa dose de ingenuidade, é certo, mas nunca consigo recusar à pureza do drive dessas personagens, mesmo quando se está mesmo a ver que a coisa vai dar para o torto. E depois há toda a exuberância do olhar sobre, neste caso, o Paquistão, que ultrapassa muito o meramente exótico do bilhete postal ou do cenário bondiano, uma vez que é um olhar de certo modo íntimo, doméstico, familiar.

Finalmente, o filme conta uma história interessante, em que está em causa um dos efeitos pouco destacados do 11 de Setembro, e que tem a ver com as dificuldades porque passaram todos aqueles que tinham qualquer coisa a ver com a origem dos terroristas do ataque às torres gémeas, seja ela a religião, ou aspectos mais comezinhos, como a cor da pele ou a barba. Este mal-estar acaba por empurrar Changez, um estudante de Princeton com um emprego em Wall Street, de volta para Lahore onde estabelece algumas relações perigosas. Mira Nair consegue-nos trazer sempre para perto da personagem e acreditar nela, mas deixa-nos até ao final na incerteza acerca do seu papel num rapto perpetrado por um grupo terrorista.