May 30th, 2013

rosas

niassa

niassa_254dpi1

Apesar de ser já de 2007, só agora tive oportunidade de ler (no Kindle) Niassa, de Francisco Camacho, que, como o título indica, se passa na remota provincia do noroeste de Moçambique. Uma escrita enxuta, uma narrativa ágil e uma intriga bem pensada, fazem deste livro uma obra muito interessante e de leitura quase compulsiva.

O enredo faz a ponte entre três épocas distintas: o tempo colonial e o início das guerras de independência nas então chamadas ‘províncias ultramarinas’, o cenário de guerra civil entre a Frelimo e a Renamo, e a actualidade pós acordos de paz. A narrativa organiza muito bem os elementos de romance de estrada, com o fascínio pelos espaços imensos e intocáveis do interior africano e a viagem ‘espiritual’ do narrador, com o contexto político e social que serve de pano de fundo à intriga e lhe dá consistência e substância.

É um romance actual, que fala das coisas do nosso tempo, que aborda assuntos que são relevantes do ponto de vista histórico mas também importantes para a compreensão do que são os países africanos onde a presença portuguesa deixou marca, mas igualmente para a marca que essa presença deixou no Portugal e nos portugueses de hoje.