December 9th, 2012

rosas

capital da memória

moz07 095

"A nossa vida, mesmo rica, é uma corrida que dura pouco. Olho para trás e as minhas descidas por terrenos baldios, desde a casa na Mendonça Barreto até à baixa do Scala e das livrarias, aconteceram ainda ontem... Mas, como dizia Disraeli, a vida é demasiado curta para poder ser pequena. Recordando momentos, encontros, descobertas, deslumbramentos e até tragédias, não consigo pensar que a minha vida tenha sido pequena. Estar vivo não é insignificante. Nenhum milagre é coisa de somenos. Vou, pois, tentar arquivar aqui, com palavras incompetentes, milagres que ultrapassam a minha capacidade de os exprimir. A Lourenço Marques da minha infância e adolescência, com a praia ali ao lado e o mato muito perto, foi um desses milagres. Foi lá que aconteceu tudo quanto é importante. Foi lá que nasci e foi lá que o mundo começou: o sol descomunal, a chuva grande, as trovoadas de estarrecer, o mar, a noite, o amor, a leitura, o futuro a haver - começaram lá. Vou falar-vos de Lourenço Marques, isto é, vou falar-vos da vida. Falando dela, irei viver algum tempo mais. Só ela, a capital da memória, é capaz de me dar este modesto suplemento de vida."

- Eugénio Lisboa, ACTA EST FABULA, MEMÓRIAS-I-LOURENÇO MARQUES 1930-1947 (Opera Omnia)