October 12th, 2012

rosas

quanto possível

pouso, tão amavelmente quanto possível, nos clichés dos amores não correspondidos. busco o conforto dos lugares-comuns, das canções populares que reduzem ao mínimo denominador comum a agrura dos olhos cegos de vazio, do desejo oco como o caule de um cacto a morrer de sede, das manchas acres que alastram no lençol das madrugadas. mas sempre me chega o som baço da tua pele branca e pura, a linha do maxilar, a saliente proa do teu peito, o peso do antebraço descoberto. sempre à distância intangível do meu gesto.