October 4th, 2012

rosas

tamer and hawk

Foto0522



TAMER AND HAWK

I thought I was so tough,
But gentled at your hands,
Cannot be quick enough
To fly for you and show
That when I go I go
At your commands.

Even in flight above
I am no longer free:
You seeled me with your love,
I am blind to other birds—
The habit of your words
Has hooded me.

As formerly, I wheel
I hover and I twist,
But only want the feel,
In my possessive thought,
Of catcher and of caught
Upon your wrist.

You but half civilize,
Taming me in this way.
Through having only eyes
For you I fear to lose,
I lose to keep, and choose
Tamer as prey.


- Thom Gunn



Conheço muito mal a poesia de Thom Gunn, e cheguei a ela sobretudo pela curiosidade e pelo interesse que me despertou a biografia do autor. No entanto, há muito tempo que um poema não me subjugava tanto (para usar a mesma linguagem metafórica do poema) como este Tamer and Hawk, um fascínio que despertou logo na primeira leitura, quando seguimos mais o som e a música das palavras do que propriamente o seu significado e sentido. Gostava de ter o talento e a sabedoria (o génio, enfim) necessários para o conseguir traduzir para português sem beliscar a sua perfeição. Eu sei que não é preciso, que o poema se percebe bem em inglês, mas sinto-o tão intensamente que gostava de o sentir na língua em que sinto com maior intensidade.