September 16th, 2012

rosas

soneto 20




"Feminil face que pintou Natura
tu tens que és dono e dona de meu lume:
coração de mulher, mas que não cura
do mudar que nas falsas é costume,
olhar mais claro que elas, mas sem manha,
dourando as coisas em que se puser;
tez de donzel que em tez a todos ganha,
prende olhos de homem e alma de mulher.
Primeiro de mulher tiveste alento,
depois, ao fabricar-te, a natureza
aditou-te o que me era impedimento,
coisa que meu propósito não lesa.
Pois se para o prazer delas se presta,
é meu o teu amor, delas a festa."


- W. Shakespeare, SONETO 20 (Tradução de Vasco Graça Moura)