August 20th, 2012

rosas

a noiva indiana

500_9789722046985_a_noiva_indiana

Férias e policiais, go together like a horse and carriage, como dizia uma velhinha canção do Sinatra. Na primeira parte das férias que terminou ontem li A Noiva Indiana, da autoria da escritora norueguesa Karim Fossum. Ou seja, mais um policial de extracção nórdica. Mas ao contrário do que acontece com os livros de Stig Larsson ou de Lars Kepler, estamos longe da trepidação alucinante habitual neste género. A Noiva Indiana é, digamos assim, um policial mais existencialista, que alia o pendor atmosférico com uma reflexão sobre a fragilidade da condição humana, detectives da policia incluídos.

Claro, devia de haver, ou se calhar há, uma regra de ouro sobre não se revelar nada acerca da história de um livro policial. Mas sem revelar mais do que as próprias badanas do livro, sempre direi que a história se passa numa pacatíssima aldeia norueguesa onde, um dia, um dos seus habitantes decide ir à Índia arranjar noiva. Posso também acrescentar que a coisa não vai correr bem. Mas o livro lê-se muito bem, consegue sempre manter o interesse do leitor (mesmo sem ser um daqueles casos de page-turning compulsivo) e tem uma história e uma galeria de personagens muito interessantes.