?

Log in

No account? Create an account

a young writer from portugal
rosas
innersmile
Boa parte do meu verão de 2001 foi passado a ler as mais de 1000 páginas do primeiro volume dos Diários do Christopher Isherwood, que cobria o período desde 1939 até 1960. Por isso muitas das primeiras entradas do innersmile (que um dia destes está a fazer anos) faziam referência aos diários do Isherwood, nomeadamente com citações tiradas do texto.

Há muito que projectava ler o segundo volume dos diários, sobre os Sixties, entre 1960 e 1969. Apesar de menos extenso do que o primeiro volume, ainda assim é um tijolo com muitas centenas (mesmo muitas centenas) de páginas. Mas o facto de estar rendido à facilidade de ler no kindle, e de ter mais um verão à minha frente, finalmente convenceu-me, e desde há umas semanas estou totalmente embrenhado no dia a dia do Christopher Isherwood, e da sua vida em comum com o Don Bachardy, tema que ocupa muito dos diários deste período.

É inegável que uma das razões porque os diários são irresistíveis é o gossip. O quotidiano de Isherwood, em Los Angeles ou em Londres, é um desfilar do who’s who das artes, do espectáculo e sobretudo da literatura. A propósito, numa entrada do dia 6 de Agosto de 1961, em Londres, Isherwood conta que foi almoçar com a poeta e crítica literária Edith Sitwell, que na altura já era uma septuagenária avançada. Depois de referir que a Sitwell ainda conseguia estar a maior parte do tempo ‘perfectly logical', acrescenta: "with us at lunch was a trained nurse, an Irish girl; and a young writer from Portugal, a bit of an ass-licker". Tenho um palpite fortíssimo de quem poderia ser o jovem escritor português em questão, mas como se trata de alguém de quem gosto muito, mum’s the word.