?

Log in

No account? Create an account

a naifa
rosas
innersmile
Nunca tinha prestado mais atenção à Naifa do que a que damos às músicas que vão passando, e fui conquistado à primeira canção no concerto de sexta-feira passada, na sala d’O Teatrão.

Gostei da formação da banda, do som, dos arranjos, gostei muito dos poemas, do humor subtil que as canções da banda transmitem, adorei a guitarra do Luís Varatojo e a voz quente da Maria Antónia. Fiquei fã absoluto e estou em ânsias para pôr os ouvidinhos neste mais recente disco, Não Se Deitam Comigo Corações Obedientes, e numa canção que me ficou marcada, Aniversário, com um poema poderosíssimo da Margarida Vale do Gato (como a maior parte dos poemas do disco).

Como sempre acontece com uma forma artística que nos toca intensamente, parece que está a falar connosco. Foi um pouco o que aconteceu durante o concerto, tive, a maior parte do tempo pelo menos, a sensação de que estava sozinho na sala, quer dizer, que o concerto me era pessoalmente destinado. E claro, este refrão de uma canção de um discos anteriores, então, parece que era para mim, sem tirar nem pôr. Aqui fica o clip de Esta Depressão Que Me Anima, poema do João Aguardela que, no disco Uma Inocente Inclinação Para O Mal assinou todos os textos com o pseudónimo Maria Rodrigues Teixeira.



a gorda do café
muito antiga e perfumada
passe bem minha senhora
que eu não me importo nada

uma rima obsessiva
indecente nas suas maneiras
desligado o motor do carro
as criadas tornavam-se indisciplinadas

vivo do que me dão
nunca falto às aulas de esgrima
e todos os dias agradeço a deus
esta depressão que me anima

o rapaz da drogaria
amarelo e mal tratado
convidou-me a sair
encontrei-o no teatro

uma prosa enferrujada
inconviniente e desajeitada
não encontro vestido que me sirva
já não sirvo para nada