November 15th, 2011

rosas

the ides of march 4*

Vi no fim de semana The Ides of March, realizado pelo George Clooney, um thriller político muito interessante e razoavelmente bem feito, sobre, fundamentalmente, o valor da lealdade em política. O título remete, como é óbvio, para o assassinato de César nas escadas do Senado, e Clooney de facto encena a história de uma traição política.

A realização é sóbria e consegue manter-nos sempre sentados na borda da cadeira, segurando bem a narrativa, e nunca deixando as idiossincrasias da política norte-americana ocupar demasiado espaço, o que para nós, europeus, constituiria sempre um certo factor de distracção.

Muito a favor do filme joga o excelente naipe de actores. Para além do próprio Clooney, temos o sempre assombroso Philip Seymour Hoffman, o Paul Giamatti, a Marisa Tomei, que eu adoro, outro actor de que gosto imenso, o Jeffrey Wright, e ainda o Ryan Gosling, muito convincente no protagonista.

Não deixa de ser curioso que George Clooney escolha mais uma vez o universo da política para realizar um filme, e que escolha o partido Democrático como cenário desta história, partido de que é apoiante. De resto Clooney foi um apoiante de Barack Obama e não deixa de ser significativo que os cartazes do candidato à presidência a que ele próprio dá rosto, remetam graficamente para os cartazes de Obama.