?

Log in

No account? Create an account

são pedro
rosas
innersmile


Estou em São Pedro de Moel. Chegámos ontem, a meio da tarde, e era a maior confusão. Carros e montanhas de pessoas, a praia cheia como se fosse Agosto, e até o hotel estava apinhado de gente, por causa de uma festa qualquer. Felizmente, ao fim da tarde tudo desarvorou, e quando fomos jantar, já esta tudo calmo e tranquilo. Tirei a foto acima antes de entrar para o restaurante, e quando saímos, estava uma noite fabulosa, amena, e com uma lua cheia que iluminava não só a terra toda, mas igualmente todo o mar.

O Brisamar, onde jantámos, é o meu restaurante preferido de São Pedro (e tem site). Não só por causa da comida, e já seria razão substancial, mas sobretudo por causa do Miguel que é o Chefe de Sala e a alma do restaurante (que é do pai, e a mestra da cozinha é a mãe). O Miguel acolheu-nos, à chegada, como se fossemos grandes amigos. Lembrava-se de que lá tínhamos estado há dois anos e deu-nos a mesma mesa em que tínhamos ficado.

Hoje passei a manhã na praia. Molhei os pés na água gelada, estive sentado no areal, e depois o resto da manhã numa espalanada mesmo em cima da praia, a apanhar sol, e a olhar. Olhei muito, e fiquei com os olhos cheios. Foi bom.

Eu adoro São Pedro de Moel. Já aqui o devo ter dito centenas de vezes (ou milhares). É uma terra onde me sinto feliz, só por poder aqui estar e olhar em volta. Não preciso de mais nada. Normalmente, talvez por ser um tipo ansioso, a minha felicidade é sempre retroactiva, sou normalmente feliz por relação a alguma coisa que já aconteceu. Mas aqui em São Pedro não sou feliz por já aqui ter sido feliz, e já o fui, sempre que aqui vim, mas sou feliz porque estou, porque isto me enche de bem-estar e de tranquilidade. Gosto do mar, rebelde e forte, gosto da praia, dourada e luminosa, gosto das casas, com sua arquitectura ligeiramente démodé, gosto dos pinheiros, e da sua frescura verde, gosto das ruas tortuosas e inclinadas, gosto das arribas, imponentes e perigosas, gosto do horizonte, para onde não resisto a levantar os olhos neste momento.


edit às 23:00 horas: de manhã, praia. À tarde, depois de escrever o texto acima, fui para a esplanada do Bambi, beber limonadas. Agora está uma trovoada valente, com relâmpagos a cair sobre o mar em frente ao hotel.