August 10th, 2010

rosas

noite aberta




pergunto-me se tens mais para oferecer do que os breves momentos em que, noite aberta, as luzes da cidade lá ao longe, o som de uma música distante, despes as roupas e te tornas tão comoventemente real. depois, uma réstea de cheiro ainda nas minhas mãos, concluo que, muito provavelmente, esses são os únicos momentos que me restam. e tento, com a serenidade de um jogador de xadrez que percebe que o fim da partida está iminente, aguardar, racional e tranquilo, que tomes mais uma vez a iniciativa.