March 8th, 2010

rosas

oscars

Das duas uma: ou a cerimónia de entrega dos Oscars, a noite passada, foi uma estopada, ou então as minhas células cinzentas estão a cometer suicídio em massa e o meu cérebro colapsou a partir das duas da manhã. Mas claro, vi até ao fim e por acaso quando foi a recta final, com os Oscars das principais categorias, até estava bem acordado. Não achei muita graça ao facto de a cerimónia ser apresentada por dois Mc’s, apesar do Alec Baldwin e do Steve Martin terem estado bem e com piada. Mas nada que se compare com o Hugh Jackman, o ano passado.

Como não vi o The Hurt Locker não me empolguei com as suas vitórias, mas acho sempre bem o Óscar de melhor realizador ter ido para uma mulher, e ainda por cima uma mulher de acção bonita como é a Kathryn Bigelow, de quem só vi o Point Break e o Strange Days, e há tantos anos que já não me lembro (mais umas quantas células cinzentas que se atiraram à praia…) Também não vi os filmes do Jeff Bridges e da Sandra Bullock, mas, no que respeita ao Jeff, tenho a certeza de que o Oscar foi bem entregue, e quando à Sandra, também, tanto mais que os clips que iam mostrando despertaram-me muito a vontade de ver o filme. Como já tinha visto o Inglorious Basterds e o Precious, acho que os Oscars do Christoph Waltz e o da Mo’Nique foram muito bem entregues.

Tenho pena que o filme do Tarantino e o Up In The Air não tivessem ganho os Oscars para os argumentos (original e adaptado), porque adorei esses dois filmes e acho que muito do seu mérito se devia precisamente aos excelentes argumentos. E já que estamos nos regrets (I had a few, but then again…) tive pena que o Un Prophéte não tivesse ganho o Oscar para o melhor filme estrangeiro. Não só porque foi o único dos nomeados que eu vi, mas sobretudo porque é um filme poderosíssimo.

Como nota final o Oscar da mulher mais bonita da noite vai para a Penelope Cruz (La Streep é vencedora honorária, não conta), que já agora também ganhou na categoria do vestido mais bonito e mais bem vestido. E pronto, para o ano há mais.