?

Log in

No account? Create an account

i promise to be yar
rosas
innersmile
Desde que abri a conta no Twitter sempre tive muita dificuldade em pensar em coisas para lá escrever. Não me seduz muito a componente Messenger da coisa, e, para quem gosta de escrever textos grandes, a noção do micro-blogging é um bocadinho complicada. Houve uma altura em que punha frases de letras de canções, mas desde há uns tempos comecei a achar graça a abrir aquilo todos os dias (ou pelo menos quando me lembro de ir ao Twitter de manhã) com frases de diálogos de filmes. Tento lembrar-me de um filme que tenha impressionado pelo argumento e agarro-me aos diálogos, normalmente através dos sites de citações ou através da página de citações que as fichas do imdb.com têm. Ou mesmo através do script do filme, que também não é raro encontrar na net.

Ultimamente pus muitas frases do filme de George Cukor The Philadelphia Story, uma screwball comedy com diálogos espectaculares, cheios de ‘innuendos’ e segundas intenções, normalmente de conteúdo sexual, mas sempre muito desafiadores da moral e dos bons costumes.

Uma das frases mais bonitas do filme, e que ensinou uma palavra que não conhecia, aparece quase no fim do filme, quando Dexter, a personagem de Cary Grant vai dizendo a Tracy, desempenhada pela fabulosa Katharine Hepburn, o que ela deve anunciar aos convidados do casamento de Tracy com George, que acabou de ser cancelado. É dessa forma indirecta que Tracy percebe que Dexter a está a pedir em casamento, depois de, como é óbvio, terem passado o filme todo num jogo de sedução e rejeição. Quando Tracy se apercebe que Dexter se acabou de propor, têm este diálogo:

«Tracy: Oh Dexter you're not doing it just to soften the blow?
Dexter: No.
Tracy: Nor to save my face?
Dexter: Oh, it's a nice little face.
Tracy: Oh Dexter, I'll be yar now, I promise to be yar.
Dexter: Be whatever you like, you're my redhead.»


‘Yar’, ou ‘Yare’, fui ver ao dicionário, refere-se ao barco que é ágil e ligeiro, fácil de manobrar ao leme, e a utilização desta expressão faz todo o sentido no contexto do filme e da relação atribulada entre Tracy e Dexter. É este tipo de escrita perfeita que o filme nos dá quase em cada cena. Uma delícia.

Este clip da cena final contém o excerto onde está a frase, aí por volta do minuto 5:20. A boa notícia, é claro, é que este é o último dos 11 clips em que no YouTube se pode ver a totalidade do filme.