?

Log in

No account? Create an account

declaração de voto
rosas
innersmile
Não tenho dúvidas nenhumas de que o único voto que faz sentido, no próximo Domingo, é em Sócrates e no PS. Não simpatizo particularmente com Sócrates, e acho que até já disse aqui que na minha opinião o seu maior defeito (mas tem outros, muitos outros) é ser uma espécie de rei dos parolos, representando algumas das piores caracteristicas dos portugueses, em geral, e da classe política nacional em particular. Mas há boas razões para votar nele, e que não se esgotam no voto útil. Ou seja, eu vou votar Sócrates não porque ache que seja um mal menor, mas porque acho que é, de entre todos os candidatos e as suas propostas, o bem maior.

Há duas coisas no Sócrates que me inspiram confiança. A primeira é que ele é um político com razoável sentido de estado e com uma noção adequada do que deve ser um político europeu nesta época, de quais são as questões mais importantes, os maiores desafios e as principais responsabilidades. A outra, é que eu acho que ele tem a perfeita noção de que não há almoços grátis, e que se um político quer colher dividendos tem de se esforçar. O Sócrates leva muito a sério a sua intervenção política, prepara-se, estuda, não brinca em serviço. E sabe uma coisa que é absolutamente essencial em politica: a de que o exercício do poder, seja ele qual for, implica sempre dar retorno aos outros. Tem-se tanto mais poder quanto mais se lhe dá utilidade, quanto mais os outros reconhecem que esse poder lhes traz benefícios.

Isto faz do Sócrates um santo? Claro que não. Como disse, ele tem muitos defeitos, e eu não o quereria para parceiro de sueca, quanto mais para rival político. Mas é o único, ou dos raros politicos em Portugal que levam a sério a sua intervenção, que não parecem sentir, e agir em conformidade, que o poder é uma coisa que lhes caiu do céu e que podem usá-lo a seu belo prazer. Mesmo quando não parece muito, a verdade é que o Sócrates conhece as regras do jogo e tem perfeita consciência de que em democracia o povo é quem mais ordena, que a política não é uma actividade palaciana, para fidalgos e cortesãs. Isso e o facto de ser do Partido Socialista, bastam-me para eu lhe confiar o meu voto no próximo dia 27.
Tags: