?

Log in

No account? Create an account

los abrazos rotos
rosas
innersmile
Na derradeira frase do filme, Harry Caine (só o nome é todo um programa), num momento de recaída Mateo Blanco, diz qualquer coisa no sentido de que um realizador deve sempre terminar os seus filmes, ainda que seja às cegas. Não podemos deixar de sentir que esta frase se ajusta a Los Abrazos Rotos, e mesmo se Pedro Almodóvar não a terá escrito propositadamente. Na maior parte do tempo, o filme arrasta-se à procura da sua própria história, como se o realizador acreditasse pouco nela e, num esforço muito notado, acumulasse referências e apartes que procuram dar mais densidade e consistência ao filme. Com efeitos perversos, já que o melhor do filme é, como sempre acontece em Almodóvar, a própria história que ele tem para contar.

Não é expectável que um escritor apenas escreva obras-primas, assim como não podemos esperar que um realizador apenas faça excelentes filmes. Mas Los Abrazos Rotos, apesar de não estar à altura do melhor de Almodóvar, não é, acho eu, o desastre criativo que muitos críticos têm classificado. Tenho alguma dificuldade em perceber porque é que há quem goste de dividir a obra de Almodóvar nos filmes cómicos e nos filmes sérios. Para mim os filmes do realizador são sempre melodramas de sentimentos exacerbados, servidos por um olhar irónico e cáustico, que lhes dão um tom de farsa. Assim tipo bolo de aniversário: a massa é um melodrama de tons pesados, mas a cobertura é um glacé cor de rosa que os torna leves e divertidos. E neste aspecto Los Abrazos Rotos não desmerece da filmografia de Almodóvar. O que falha, a meu ver, é o controlo da narrativa. Em raros momentos o realizador consegue segurar o filme, fazê-lo andar para a frente, dar-lhe leveza e eficácia. A maior parte do tempo, parece, como referi, o filme desacelera, como se estivesse à espera de si próprio.

Agora traumatizante foi mesmo eu ter ido, depois de alguns anos sem o fazer, a uma sessão da meia-noite. Ok que ando um bocado cansado, mas o esforço que tive de fazer para me segurar e não adormecer completamente ajudou a estragar o gozo de ver o filme. Que miséria.
Tags: