September 19th, 2009

ghostrain

viajar pelos livros

Ponho-me a pensar exactamente no tipo de prazer que sinto ao ler os livros de viagens, quer dizer quando são tão entusiasmantes e divertidos como este do Paul Theroux. Pergunto-me porque é que gosto tanto de os ler, porque é que isso me diverte tanto. Acho que tem tudo a ver com desejo e cobardia. Apesar de eu passear muito, tenho consciência de que aquilo que eu faço é, em sentido literário, turismo, e não viagem. Apesar do meu desejo de viajar, sou um turista, e não um viajante. E reflectindo sobre o assunto, acho que é apenas por uma questão de coragem: é preciso ter alguma coragem para ser um viajante, e eu não a tenho, sou um cobardolas. Por isso quando leio os relatos da viagem do Paul Theroux através da Índia, é como se pudesse viver o meu desejo, mas sem correr riscos, sem dar o peito às espadas. O que é curioso (e seria até um pouco inquietante, se eu quisesse pensar mais no assunto) é que isso não me perturba, não me confrange. Nem sequer me embaraça. Nada me estraga o divertimento de passar uma tarde a atravessar a Índia de comboio através de um livro.