June 21st, 2009

rosas

aos poucos




aos poucos,
vão-se esfumando as fotografias
no branco das pálpebras

a agulha de um vulcão, o
empedrado das ruas, a
tranquila superfície das
águas profundas, um rosto
de fugazes olhos negros,
a brandura em desalinho
das clavículas

mas quando a face repousa na
palma da mão, são ainda las palabras
que dão música à insónia