June 8th, 2009

rosas

o amor

Para não dizeres que não falei de amor:

nada que eu possa invocar
acerca dos sentimentos mais
intensos e profundos
que me ligam a ti,

se compara ao
frémito áspero da tua mão
passando leve na brancura
da minha nádega.