June 2nd, 2009

rosas

estação a estação

No Domingo, ao fim da tarde, fui à igreja de Nossa Senhora do Amparo, para ser padrinho de baptizado. Já tenho alguns afilhados de baptismo, mas foi a primeira vez que fui escolhido para padrinho pela própria afilhada. Ou seja, não foi o padrinho que fez a afilhada, foi a afilhada que fez o padrinho.

Ontem de manhã risquei a capital. À hora de ponta, ou à volta disso, entrei numa carruagem e corri uma linha de metro quase de uma ponta à outra. Depois percorri uma das minhas estações de comboios preferidas, e que linda que ela está, iluminada, airosa, limpa e ampla, o empedrado do chão polido e brilhante.

Depois meti-me no comboio, a ouvir música, a ler uma revista. De estação em estação, até chegar de novo à minha vida. A tarde, de calor e luz a derramar-se numa esplanada, prometia. E cumpriu, como há muito tempo não acontecia.