?

Log in

No account? Create an account

madrugadas que estavam no caminho da praia
rosas
innersmile


INSÓNIA

No escuro do cérebro com um único pássaro
acordado e a cantar para mim, aqui,
onde não tenho nada para trocar pelo corpo
sob esta dor e outra dor ainda,
até onde as mães acabam e nós principiamos
ou talvez antes (e porque não muito antes?)
apesar de tudo aqui ou só no pássaro ou
em seu excesso de cantar-se entre as sombras
do cérebro – subitamente encontro laranjas maduras,
o meu primeiro relógio, as madrugadas que estavam
no caminho da praia, e Octávia a sair
da minha adolescência, com Alzira atrás,
o rio Incomati depois da escola, depois
dos meus amigos negros Zefa, Fabião,
onde já não deve estar Vicente nem sua perna cortada
nem sua reforma ainda mais escassa.

E há fileiras de noites e são
intensas e abrem apenas
umas para as outras.


- Victor Matos e Sá, COMPANHIA VIOLENTA