May 5th, 2009

rosas

espera



é na agrura da paisagem
que te sentes corajoso e só

convives docemente com
as folhas caídas do calendário
que esperam à tua frente

a tua memória é um cume
intransponível

enquanto te desmembras nas
salas de espera dos consultórios

voltas sempre, numa
vertigem desequilibrada e cega,
ao único lugar que te escapa
às sílabas e às declinações

devagar, com a lentidão dos loucos,
esperas que passe