?

Log in

No account? Create an account

a vida desse meu lugar
rosas
innersmile
«E assim chegar e partir são só dois lados da mesma viagem
O trem que chega é o mesmo trem da partida
A hora do encontro é também despedida»

Sempre que oiço a canção ‘Encontros e Despedidas’, do Milton Nascimento, o Bituca (composta em co-autoria com Fernando Brant), fico muito comovido. E a verdade é que não percebo bem se é uma comoção feliz e aconchegante, ou se, pelo contrário, é feita de angústia e melancolia. Acho que são as duas coisas ao mesmo tempo.

Claro que lemos numa canção, não tanto aquilo que ela quer dizer, mas aquilo que queremos que ela nos diga. E há quem veja nesta canção de Bituca uma referência à reencarnação. Eu prefiro ler nela uma referência ao facto de a vida ser feita de ganhos e perdas constantes. Como diz o ditado, quando deus fecha uma porta abre sempre uma janela, e é desta coisa de estarmos sempre a nascer e a morrer em cada segundo, que tão bem fala a canção de Milton.

Mas não é só a letra que fala disso, é a própria melodia, que consegue ser ao mesmo tempo triste e celebratória. Há na voz do cantor uma tristeza feita de perdas, mas uma esperança feliz feita das promessas que o futuro, ou melhor que o presente sempre nos traz.

Para além de Milton, esta canção teve pelo menos mais duas interpretações definitivas, a da Simone, e a da Maria Rita, creio que no seu primeiro disco. Aliás é curioso ver como na net o maior número de referências associa-a precisamente à filha de Elis e César Mariano. Por isso, por estas três versões serem tão absolutas, não consigo escolher um clip para a pôr aqui.
Fica por isso apenas com a letra, para nos lembrar que «a plataforma dessa estação, é a vida desse meu lugar. É a vida.»

"Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço
Venha me apertar
Tô chegando

Coisa que gosto
É poder partir
Sem ter plano
Melhor ainda
É poder voltar
Quando quero

Todos os dias
É um vai-e-vem
A vida se repete
Na estação
Tem gente que chega
Pra ficar
Tem gente que vai
Pra nunca mais
Tem gente que vem
E quer voltar
Tem gente que vai
Querer ficar
Tem gente que veio
Só olhar
Tem gente a sorrir
E a chorar

E assim chegar
E partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida

A hora do encontro
É também despedida
A plataforma dessa estação

É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida"
Tags: