?

Log in

No account? Create an account

menina da ria
rosas
innersmile
"Um momento inesperado foi quando, já depois de cantar Menino do Rio, Caetano afirmou que tinha gostado muito da palavra 'ria', por ser feminino, e que a ideia de fazer uma canção sobre 'a menina da ria' era irrecusável e ficava desde já prometida. E o inesperado da coisa é que foi tão espontâneo que fiquei convencido que a ideia lhe tinha passado naquele mesmo momento pela cabeça."

Escrevi isto aqui no livejournal no dia 24 de Julho do ano passado, depois de, na véspera, ter assisitido ao concerto do Caetano Veloso na Praça Marquês de Pombal, em Aveiro. Pois bem, um dia destes apareceu uma nova entrada em Obra em Progresso, o blog de Caetano, em que aparece a seguinte 'maluquice' (a expressão é do próprio Caetano):

«Uma moça
De lá do outro lado da poça
Numa aparição transatlântica
Me encheu de elegante alegria
(Ai, Portygal, ovos moles, Aveiro)
Menina da Ria
Menina da Ria
Menina da Ria

E uma preta
(Parece que eu estou na Bahia)
Tão Linda quanto ela, dizia
No seu português lusitano:
“Pode o Caetano tirar uma foto?”
Menina da Ria
Menina da Ria
Menina da Ria

Arte Nova, um prédio art-nouveau numa margem
Em frente à marina-miragem:
Os barcos na Ria. E depois

Uma taça sobre o pubis glabro, um estudo
Nenhum descalabro se tudo
É sexo sem sexo em nós dois
Menina da Ria
Menina da Ria
Menina da Ria»


Não há grandes indicações acerca do texto, mas aparentemente, pelo sentido do que escreve na entrada, ainda não é canção, falta-lhe a música, e mesmo o texto ainda pode sofrer alterações (nomeadamente de pontuação. Caetano anda muito perturbado com o novo acordo ortográfico, que já vigora no Brasil). O número excessivo de comentários ao texto torna-os praticamente impossíveis de ler, mas uma vista de olhos rápida dá para ver como os comentadores brasileiros reagem a uma letra que tem muitos referentes para Portugal, e que para eles são incompreensíveis. Engraçado.

Aliás o próprio Caetano desafia a interpretação da letra no texto do post, escrevendo que se for preciso explica a origem e o significado da expressão 'do outro lado da poça'. Suponho que seja a tradução para português da expressão inglesa 'the other side of the pond' que se refere à posição geográfica dos EUA face à Europa, particularmente à Inglaterra. Tenho a impressão de que o Saint-Clair já usou essa expressão no Opiário, para se referir ao Brasil e a Portugal.

Na mesma entrada do blog, uns parágrafos a seguir, Caetano Veloso escreve sobre o filme Gomorra, particularmente sobre uma afirmação, no final do filme, de que a Camorra ajudou a financiar as Torres Gémeas de Nova Iorque. E escreve o seguinte: «Informação relevante. Mas me senti mal ao pensar nisso em casa. Quanto ressentimento dos Estados Unidos tem a esquerda européia! Será que é paranóia minha ver aí um desejo de veladamente louvar (ou ao menos justificar) os fanáticos que enfiaram os aviões no World Trade Center?» Não, não é paranóia, e uma das coisas mais incompreensíveis na reacção europeia ao 11 de Setembro foi uma espécie de sentimento de 'eles merecem'. Tal como não compreendo, como refere Caetano, esse ressentimento da esquerda européia em relação aos EUA (aliás, acho que já escrevi sobre isso aqui no livejournal). Ainda bem que não sou o único a reparar e a incomodar-se com isso.